Conheça os métodos de camuflagem de estrias

Estrias são cicatrizes que formam-se quando as fibras colágenas e elásticas são destruídas, geralmente provocadas por um estiramento da pele. Essas linhas são formadas pela redução da espessura da epiderme e da derme. Podem coçar e arder e geralmente, não costumam apresentar sintomas. Conheça os tratamentos com camuflagem de estrias.

Leia também: tipos de pele.

Há dois tipos de estrias: as novas (vermelhas ou arroxeadas) e as antigas (brancas). As estrias recentes podem apresentar inflamação na área afetada e uma coceira leve. Já as estrias antigas não apresentam processo inflamatório, pois já aconteceu uma atrofia intensa das fibras elásticas e colágenas. Em pessoas morenas e negras, as estrias podem aparecer em um tom acima da coloração da pele.

Existem diversas formas de tratar as estrias e nos últimos tempos 2 novos métodos de “camuflagem” ficaram populares: a micropigmentação (também conhecida como maquiagem definitiva para estrias) e a tatuagem.

Micropigmentação

Pessoa com um dermógrafo e uma barriga com estrias atrás.

A micropigmentação é um método de camuflagem de estrias feito com pigmentos de tom parecido com a cor da pele e melhora de 60 a 80% a aparência das estrias, porém existem diversos prós e contras e muitos especialistas alertam sobre os riscos desse procedimento. O processo não remove as marcas, mas atua aplicando uma espécie de tintura com o propósito de cobrir as marcas, como uma tatuagem temporária. O preço varia de R$ 350 a R$ 600 (valores consultados em 2017). e também é possível fazer pacotes, o que abaixa o preço.

Além disso, alguns especialistas usam a técnica aliada a outros procedimentos, como a micropuntura de estrias (perfurações superficiais na pele que tem o objetivo de reduzir a aparência das marcas, por meio do estímulo da produção de colágeno).

É utilizado um dermógrafo (uma caneta elétrica com uma agulha na ponta). Ela possibilita o controle da velocidade e da intensidade das perfurações. Também é utilizado um pigmento da cor da pele da pessoa. O pigmento é obtido através de diversos testes e misturas de cores. A tinta possui um aspecto opaco, o que diferencia da tatuagem, deixando um aspecto mais natural na estria pintada.

São feitas no máximo 2 sessões, e a segunda é utilizada somente para retoques, e a duração de cada sessão depende do tamanho da região afetada, e podem durar até 2 horas. O intervalo entre as sessões é de cerca de um mês, para que a pele possa de regenerar. A micropigmentação dura cerca de um ano, já que o pigmento é aplicado somente na camada superficial da pele. Esse método pode causar incômodo no paciente, já que é feito o uso de agulhas, portanto, para evitar o desconforto, é usada uma pomada anestésica, cerca de 40 minutos antes da sessão e normalmente, o produto é recomendado pelo próprio especialista. Após o procedimento, a área fica um pouco inchada e avermelhada, porém o efeito é passageiro.

Cuidados após o procedimento

  • Utilizar produtos cicatrizantes.
  • É PROIBIDO tomar sol depois da micropigmentação até a pele cicatrizar. Após esse tempo, especialistas garantem que o bronze não afeta a cor da região.
  • Além disso, o procedimento não pode ser feito no verão.

Recomendações e contraindicações

Contraindicações:

  • Gestantes.
  • Pessoas que tem diabetes descontroladas.
  • Pessoas com problemas cardiovasculares.
  • Pessoas que fazem tratamentos invasivos.
  • As pessoas que se enquadram em algum desses grupos acima só devem realizar a micropigmentação com a orientação de um médico!

Recomendações

  • Pessoas negras devem ter o dobro de cuidado com procedimentos estéticos pois elas são mais propícias a sofrerem com a hiperpigmentação (mudança na cor desejada).
  • O mais recomendado é consultar um dermatologista para ele avaliar o seu tipo de pele e quais são as melhores opções de tratamento!

Confira algumas fotos de antes e depois da camuflagem de estrias: Fotos de uma barriga com estrias (antes) e sem estrias (depois).

Uma foto de um bumbum com estrias (antes) e outra sem (depois).

Camuflagem de estrias com tatuagem

Tatuador aplicando tinta nas estrias.

Esse método de camuflagem de estria é como uma tatuagem normal. A finalidade é que depois do procedimento, a tinta deixe as cicatrizes com uma aparência mais sutil. A técnica não deve ser realizada de primeira. Primeiramente, deve-se consultar um dermatologista, testar outros tratamento e somente se eles não derem certo, considerar a tatuagem.

O procedimento apresenta resultados após uma sessão e não há necessidade de fugir do sol. O tempo de cicatrização é variável, algumas pessoas podem levar 2 semanas para cicatrizar, enquanto outras podem cicatrizar somente entre 8 e 10 semanas.

Recomendações

  • Consultar SEMPRE um dermatologista antes de realizar a “camuflagem de estrias”. Somente um médico especialista poderá avaliar se o tratamento é ou não indicado para você.
  • A tatuagem deve ser a última opção! Testar outros tratamentos junto com acompanhamento médico é fundamental. Em casos de estrias novas (vermelhas ou arroxeadas), é possível inclusive curá-las.
  • Saiba que os pigmentos usados são próximos ao próprio tom da pele da pessoa, portanto, é quase impossível apagar a tatuagem depois. Além disso, provavelmente, será preciso retocar os pigmentos algum tempo depois.
  • Os pigmentos mudam de cor e desbotam com o tempo, assim como a pele. Ou seja, se a pessoa toma muito sol, a tatuagem não vai acompanhar a mudança de tom. Então, o resultado inicial não permanecerá intacto para sempre.
  • Prestar atenção ao estabelecimento! Procure um local com higiene adequada, que contenha potes de tintas bem fechados e material esterilizado. E buscar SEMPRE um profissional qualificado!
  • Observar o processo de cicatrização e recuperação da pele. Liberação de pus e sangramentos são sinais de infecção e inflamação. Caso apresente algum desses sinais, procure um dermatologista.

Confira algumas fotos de antes e depois:

Fotos de um bumbum com estrias (antes) e sem estrias (depois).
Fotos de um bumbum com estrias (antes) e sem estrias (depois).

Para qualquer um dos procedimentos, lembre-se: Consulte um dermatologista SEMPRE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *